Donald Davidson: subjetivo-objetivo – O retorno ao cogito

On March 31, 2018 by zepedrocorreia

Donald Davidson: subjetivo-objetivo – O retorno ao cogito. Diana Couto. MLAG Discussion Papers, Vol. 10. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 2018. ISBN: 978-989-54030-1-1.

Donald Davidson (1917-2003) foi um dos filósofos mais marcantes e controversos da última metade do século XX. Embora seja autor de uma prosa simples e, por vezes, até de tom coloquial, ele tornou-se célebre pelo seu pensamento difícil e polémico, sendo que os seus argumentos exigem uma leitura atenta e ponderada. As suas teses, desenvolvidas isoladamente e dispersas por vários artigos, combinam-se entre si de forma sistemática, articulando áreas que abrangem a filosofia da ação e a ontologia, passando pela filosofia da linguagem, epistemologia e filosofia da mente. Um dos propósitos deste livro é facultar ao leitor uma visão integral e unificada deste conjunto de teses, à primeira vista incompatíveis, que condensam influências de várias fontes, entre as quais W.V. Quine, A. Tarski, F. Ramsey, I. Kant, C.I. Lewis e L. Wittgenstein. Ao mesmo tempo, e mediante um diálogo intenso com Quine, este livre pretende ainda fazer jus à originalidade e pertinência das mesmas. Teve-se em conta, sobretudo, as posições de Davidson e Quine perante o empirismo, a conceção naturalizada da filosofia, o naturalismo e o materialismo. Compreender a perspetiva de Davidson acerca destes quatro pontos servirá de guia aos seus cruciais da sua obra. Pretende-se que este livro funcione como uma introdução ao pensamento de um dos filósofos que, não obstante a diversidade de interpretações a que dá lugar, continua a ser hoje em dia um foco inegável de atração e influência.